Postagens

Mostrando postagens de Agosto 20, 2017

¡Por supuesto!

Imagem
¡Por supuesto!
(Madrugada de 16 de julho de 2015)

Não costumo ter dor de cabeça, na verdade é muito raro, conto nos dedos nos meus quarenta e cinco anos de vida as vezes que a cachola doeu – e não é o caso ao traçar essas linhas -, mas se tem uma coisa que tenta me alocar um dodói na cuca é o tal de “papo cabeça”, papo intelectual banal, nada flexível, que só tem como objetivo a defesa incondicional e bestial das opiniões dos interlocutores. Vejo gente com papo furado, furando cabeças; mas também vejo gente com fino trato, sem a cabeça rente, e sim de frente na obrigação de alçar o papo “gente”. Ontem o vilão era o tomate, hoje é a cebola; não há ideia mais tola do que a verdade absoluta, do ritual do falar uníssono... De repente a mentira absoluta consegue ser ainda menos fútil! As coisas mudam, e em tempo, e no tempo certo, todos mudam alguns ideais. Nada mais natural que quem odeia ser rotulado, quem odeia nadar a favor da corrente, quem é pensante, poeta, filósofo; quem é astrólogo …

Os anjos

Imagem
Não vacila o versuto, verossímil e versado.
Os anjos trouxeram predicados Abençoando as conquistas Lapidando as certezas Aqui nesse dia sagrado. E sob a lua alegre e minguante Nós, os humildes bardos Festivamente cantamos Com os novos perdoados pecantes.
O ontem ficou feliz pois foi repetido no agorinha
Quando a Glorinha arteira chegou à areia e fincou o punhal; 
Refletindo assim Nefertiti e seu rosto risonho,
Num sonho bisonho, que assombrou o que sobrou 
De todo o mal.

Quase um suspiro triste (26/2/14)

E a neve derreteu:
- foi-se à tarde naquele despovoado de ecos.
Suspenso num chão de tacos de pedras
Mostrando que sempre existirá a sangria.

O caos e o medo
Mesmo em mistério
É qualquer imaginação.

Pois naquela mesma tarde
Veio o escuro - escroto e escrito
Na testa; no tiro; espinha.

Ensaiou um sorriso com o dia
Estático, no canto da boca:
Contato!
O dia queria gritar por todos os nomes
Dos vivos; dos ventos
E loucos:
Sabemos que ele derreteu a neve.

Solidão branca e gravida
Gerou e errou:
O pai não a quer; a mãe cor…